top of page

Transparência 

Venha conhecer um pouco mais sobre o processo das peças Mnisis <3
E entenda como inserimos sustentabilidade em cada etapa do produto, desde a criação até a venda.

50% dos nossos designs envolvem técnicas de manufatura

<3

logo mnisis marca de roupa

Nossa missão

  A sustentabilidade na moda é muitas vezes confundida com algo monocromático e sem graça, quando muitas vezes o consumidor não tem clareza do que é, ou o que faz uma roupa sustentável.
Na nossa concepção, para unir sustentabilidade
ao mundo da moda é preciso desacelerar o consumo (o famoso slow fashion) e desafiar os modelos de negócios dominantes com um design  que considere índices emocionais e culturais <3
Ou seja orientar a criação para uma conexão emocional e evidenciar o significado que a roupa carrega, criando looks que geram empatia e dificultem o descarte.
É necessário começar a conceber novos jeitos de criar e vivenciar a moda, para obter um item verdadeiramente sustentável!
Sabemos que temos um longo caminho a percorrer, mas nos comprometemos a tentar cada vez mais incorporar a sustentabilidade em todos os nossos processos :)

Planeta

Planeta

Em termos de sustentabilidade ambiental, pensamos primeiramente em gerar o menor impacto o possível durante a produção da roupa, utilizando muitas vezes de tecidos de reuso para a confecção, esses são sobras de materiais comprados em excesso por grandes fabricas de moda.
Atualmente a indústria da moda produz resíduos e poluição em ritmo mais rápido que a natureza é capaz de absorver, além de consumir recursos naturais numa velocidade bem mais alta que o ambiente consegue repor.
Dessa forma, é necessário repensar a forma que criamos os designs para evitar gerar mais lixo. Diminuir o consumo de matéria-prima virgem contribui para um sistema cíclico dentro da moda, já que utiliza das sobras descartadas pela própria indústria.

Também é importante lembrar que o impacto ambiental não acaba com a produção da roupa, se desfazer de roupas antigas pode também causar muitos danos. Assim, utilizamos também do design afetivo, técnica que explora o poder identificativo do consumidor para dificultar o descarte da peça.
Reduzir e reaproveitar a matéria-prima é a forma que encontramos de diminuir o lixo gerado pela nossa empresa <3

Produto

Produto

Moda  para nós é uma necessidade de afeto, compreensão, pertencimento, liberdade, identidade e prazer, que manifesta nossos desejos e emoções.

Reconhecemos que a roupa em si possui uma característica muito especial, a de receber e a marca humana, é por essa razão que a vestimenta pode ser fortemente associada à memória.

O desing emocional é a ferramenta escolhida por Mnisis para que as roupas, ao serem associadas a memórias, deixem de ser apenas roupas, e passam a carregar sentimento e história.

Quanto mais traços de história e emoção uma peça carrega, mais ela ganha uma vida própria e o seu poder identificativo aumenta, consequentemente o seu descarte diminui.

Utilizar de técnicas de manufatura na peça potencializa a identificação e a humaniza, deixando claro a dedicação e cuidado por trás da roupa.

 Em seu livro, “ O erro de Descartes”, o neurocientista António Damásio, explica que Descarte errou ao dizer penso logo sou, pois esqueceu do eu sinto, afirmando que é a emoção, ou capacidade de sentir que torna o indivíduo humano.

Pessoas

Pessoas

Atualmente um dos maiores problemas da indústria da moda é o seu descaso com questões sociais. 

A grande maioria dos produtos é fabricada em países em desenvolvimento, assim como 40% dos resíduos têxteis são exportados para países de terceiro mundo.

 Esse fenômeno ganha o nome de globalização, entretanto aquilo que na teoria seria a integração de culturas acaba corroendo, em vez de construir, uma moda com variedade cultural.

Os trabalhadores que produzem as peças, perdem sua identidade cultural diante da predominante estética ocidental, tornando-se alienados a suas próprias vestimentas típicas. Além de receber apenas 1% ou 2% do preço real de venda do item.

 Existe na indústria uma desumanização do trabalhador por meio da terceirização da cadeia produtiva. Quanto mais distante as grandes marcas e por consequência consumidores se sentirem dessa realidade menos se sentem responsáveis, criando um sistema de difícil rastreamento e, portanto, pouca fiscalização de direitos trabalhistas.

Tendo em vista esse problema, Mnisis conta com pequenos fornecedores locais para o desenvolvimento da coleções. Além de visitas frequentes e maior contato com as pessoas que fabricam as peças, é mais fácil garantir que os trabalhadores ganham um salário justo e condições de trabalho decente. 

Além disso, muitas das peças são produzidas ou finalizadas no nosso próprio ateliê. A valorização do trabalho manual resulta em maior respeito pelo tempo que a peça demora para ficar pronta, e apreciação de técnicas de artesanato.

 Em termos sociais Mnisis se compromete a ajudar a economia local e pequenos produtores, assim como tentar ser cada vez mais transparente na cadeia de produção.

bottom of page